BIOGRAFIA

Psicólogo, Poeta e Artista Plástico, Tocantinense por nascimento, Paraense por criação e Pernambucano por afeição. Filho, pai e avô. Autor de 72 livros de poesia, 05 de ensaio artístico e 16 e-cordel. Sócio Fundador das Ongs: Leo & Teo  e Ca?ú – Sociedade Cultural, ambas com atividades culturais nas áreas de Poesia, Literatura e Artes Plásticas.  Idealizador do Zine “Uma Coisinha Qualquer”, que circulou por 04 anos na cidade do Recife. Não tem hábito em participar de concursos literários nem acredita que os atuais programas de políticas públicas sirvam para alguma coisa, a não ser agrupar pessoas com interesses alheios ao próprio ato de criar. Entende que o papel do poeta na transformação cultural implica-o a ser agente criador, contestador e transformador da realidade em que vive.

 

Alguns títulos:

 

A boca da mata (representativo-Redenção)

Abstrações do Desejo

A casa de nossas vivendas

Aceitação de jardim

A celebração do caos

A crucificação da memória

      A esperança se desmanchando de cinza nas horas compridas do dia

      A ferro e fogo

Águas de contemplação

Andanças e paranças

Arcas & Caracóis- Alçaduras de vidas

A reverberação do caos na semiótica vivencial

A rude linguagem do ofício

A suprema indecência humana

A vestidura da voz

Cântaros de cinzas mortas – de trevas, de luz, de escuridão

Canteiros & promessas

Canto de rebeldia

Cantos cauãs

Caput Morttum (fados, fardos e fatos)

Carambolas, capitanias & hereditariedades

Catálogos do amanhecer

Como lâmpada para a escuridão

Cor(po)

Cristal sob o chão (a saga de Teodora F. Soares)

De berço & de alma

De correntes, de chicotes & de porões

De peito aberto

De sândalos, lagartos e escorpiões

Do mangue escuro para a escuridão da noite

Dos socovões da alma

Encouraçamento de dor

Envelhece melhor quem não nasceu para amar (segredos desavergonhadamente revelados)

Gestos recolhidos para o amanhã

Instante eterno

Lírios idiomáticos e sementes cadavéricas

Massa visceral

Memórias ao quaradouro

Moendas da vida

Na ribanceira da alma

No alguidar das horas uma girândola de vivências

No sombrear do tempo uma palpitação de existir

O brejo de Maria

O colecionador de relíquias

O craveiro do tempo e suas louvações de mistério

O embrião e a configuração do mistério

O esmeril afiando o facão

O grão

O Homem e o rio

Olhar estrangeiro

O íntimo das coisas

O meu respiro suave sobre o teu peito nu

O rapto da rosas

O rendilhar dos afetos

O silencio se vestindo de brisa

O sol descortinando o olhar nas brechas do barro da parede frontal

O tempo é uma casa de muitos cómodos

Pedaços do caminho

Pedaços de Mim

Penduricalhos da vida

Plausíveis & Plurais

Poemas em forma de unguento

Proezas de um instante

Ratos, vermes & homens

Relicário de intrigas

Ritos de intransigências

Semiologia outonal

Silenciosos rios de minha vida

Sina apátrida

Sobre o colo da noite uma retórica de supressão

Sol conflitante

Sombras

Uma gota de loucura em minha mão (epigênese e deslumbramento)

Útero de pedra

Versos vazios

Vínculos de afeto

Zamburá tantã

 

Anúncios

POETA E ESCRITOR

%d blogueiros gostam disto: